Crédito roativa: o que é e como funciona.

Crédito rotativo do cartão: entenda como funciona

Acordo Certo

junho 17, 2020

4

minutos para ler

Veja se você se identifica com esta situação: não conseguiu realizar o pagamento integral da fatura do seu cartão de crédito até o dia do vencimento e se deparou com altas taxas e multas referentes ao crédito rotativo.

Neste artigo nisso, vamos explicar o que é e como funciona essa modalidade de crédito, quais são seus riscos, as mudanças de regra que aconteceram recentemente e o que fazer para sair dele, se você já estiver nessa situação.

O que é o crédito rotativo?

Trata-se de uma forma de financiamento concedida sempre que a fatura do cartão de crédito não é paga de maneira integral. Ou seja, sempre que qualquer valor menor que o total for pago, o crédito rotativo entrará em ação.

Dessa forma, todo o valor não pago em um mês aparecerá na fatura do mês seguinte, sempre acrescido dos juros e das multas devidas, conforme previsto em contrato.

Em um exemplo simples, que tem uma fatura de R$ 2.000 e paga apenas o mínimo de R$ 500, terá os R$ 1.500 restantes “empurrados” para o rotativo e cobrados no mês seguinte, sendo somados aos demais gastos e parcelas do período.

Quais são os riscos do crédito rotativo?

Essa modalidade tem um dos juros mais altos do mercado, junto como os do cheque especial. Para se ter uma ideia, em março de 2020, a média das taxas cobradas pelas instituições financeiras sobre quem não paga a fatura integralmente foi de 296,1% ao ano.

Ou seja: é importante ficar alerta quando for necessário recorrer ao rotativo do cartão de crédito, tendo em mente que o ideal mesmo é evitá-lo, já que a dívida pode rapidamente sair do controle e se transformar em uma bola de neve.

Uma alternativa mais econômica que entrar no rotativo para quando você não puder fazer o pagamento integral é o parcelamento da fatura do cartão de crédito, por exemplo.

Quais foram as mudanças nas regras do rotativo?

Diante dos juros altos e do consequente grande número de endividados, em janeiro de 2017, foram feitas mudanças nas regras do crédito rotativo pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A principal delas impôs que o crédito rotativo só pode ser utilizado uma única vez, pelo período de 30 dias. Antes, era possível empurrar o saldo devedor por tempo indeterminado, o que causava dívidas com crescimento exponencial e dificultava sair da inadimplência.

Com a nova regra, após 30 dias de uso do crédito rotativo o pagamento integral não for feito, a instituição financeira é obrigada a refinanciar o saldo devedor em uma linha de crédito menor (como o parcelamento da fatura).

Além disso, a fatia referente ao pagamento mínimo também foi alterada: as instituições financeiras deixaram de ser obrigadas a estabelecer o mínimo de 15% da fatura e definem regras próprias.

Como ficar livre do crédito rotativo?

Se essas dicas chegaram tarde demais e você já se enrolou com o crédito rotativo, fique calmo: há saída para esse problema. Entre elas está contratar um empréstimo pessoal com juros menores e quitar a fatura.

Outra opção é se cadastrar no site da Acordo Certo e verificar se sua dívida está disponível para um acordo – quando você renegocia a sua fatura atrasada e faz um acordo, se liberta dos juros do crédito rotativo e a dívida para de crescer. Dessa forma, você consegue quitar a pendência com mais tranquilidade.

Agora você sabe o que é o crédito rotativo. Gostou do texto? Então, convidamos você para conferir 7 dicas de como alcançar sua estabilidade financeira.

Compartilhe
este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se

Receba os posts mais recentes em seu e-mail

Captcha obrigatório
Seu cadastro foi concluído com sucesso!