Se você deseja realmente controlar o seu orçamento deve ter atenção até com os pequenos gastos, que sem que você perceba, podem comprometer todo o seu planejamento financeiro. Economizar no supermercado, por exemplo, é um objetivo que, muitas vezes, não conseguimos cumprir.

Por se tratar de compras recorrentes com valores, geralmente, baixos, a percepção sobre o efeito dessa despesa no orçamento pode ficar distorcida. No final do mês, a sensação é de que o dinheiro foi embora e você não sabe para onde.

Organizar a vida financeira fica mais fácil se você evitar cair nessa armadilha. Confira nossas dicas e aprenda como economizar no supermercado!

1. Analise seu perfil de consumo

Quanto você gastou nas últimas vezes em que foi ao supermercado? Quais foram os produtos adquiridos? Quantos desses itens eram prioritários e quantos eram supérfluos? Tente responder a todas essas perguntas para entender qual é o seu padrão de consumo.

O importante é enxergar se você é um consumidor rigoroso, que faz as compras conforme o programado, ou se você é mais impulsivo e tende a levar produtos que nem sempre estavam previstos. Há casos em que mesmo pequenos desvios de planos acontecem. Procure identificar em quais ocasiões isso ocorre.

Enxergar todos esses pontos vai te ajudar a identificar suas vulnerabilidades. Isso não quer dizer que seja necessário abolir produtos que vão além do básico, mas, sim, que você deve fazer as compras de maneira consciente, sabendo exatamente o que compra e quanto paga.

2. Defina o orçamento mensal com supermercado

Evite começar o mês sem saber qual vai ser o seu orçamento. A estratégia é fatiar seus rendimentos entre contas a pagar com dívidas, supermercado, lazer etc., além, claro, do dinheiro que deve sobrar no final desse período. Tudo que será gasto com supermercado precisa ser planejado, para evitar despesas elevadas ou desnecessárias.

3. Faça listas de compra

Ir às compras sabendo quanto você vai gastar e o que será comprado é, talvez, a regra de ouro para economizar no supermercado — desde que você não se desvie desses propósitos, claro!

Tenha o hábito de analisar, previamente, quais são os itens que você precisa comprar e quanto, mais ou menos, deve gastar com eles. Vale lembrar que, se a tendência é de que orçamento mensal com supermercado seja extrapolado, você deve pensar em formas de substituir produtos ou marcas, para se manter dentro do limite de gasto.

4. Compare preços

Fazer a compra toda do mês de uma só vez pode parecer mais prático e até mesmo econômico, mas isso nem sempre é verdadeiro. Se você colocar no papel, verá que, embora haja produtos em promoção, os outros itens podem estar sendo vendidos por valores não tão atrativos. No final das contas, nem sempre essa opção será a mais econômica.

Isso ocorre por muitos motivos: um deles é que você pode comprar mais do que realmente precisa ou levar itens que vão perder a validade em pouco tempo, podendo, inclusive, ser descartados.

Outro ponto é que há um rodízio tradicional de preços nos supermercados, e você pode se favorecer dele. Pesquisar dá trabalho, mas traz resultado. Além do mais, as formas de conferir e comparar preços, hoje, são mais simples e rápidas.

Fazer um acompanhamento de preços, buscando ofertas e dias em que determinados produtos são vendidos com valores reduzidos (como carnes e hortifrutigranjeiros), é efetivo para garantir economia. Vale, ainda, verificar condições especiais dos programas de fidelidade.

5. Use calculadoras e aplicativos

Vá para o supermercado com uma calculadora. Ela vai ser muito importante para que você não ultrapasse o limite de gastos. Além disso, ela ajuda muito a identificar se uma promoção é, realmente, vantajosa. Verifique, sobretudo, combos ou embalagens que oferecem maior quantidade de um mesmo produto. Será que o preço pago é condizente com a quantidade que você está comprando?

Outro recurso interessante são os apps de controle financeiro. É possível utilizar tanto aqueles que ajudam no controle do orçamento mensal quanto os voltados exclusivamente para compras no supermercado.

6. Evite situações que atrapalhem as compras

Uma das recomendações mais comuns é a de não ir ao supermercado com fome. Essa é uma estratégia para evitar as tentações. Outra muito difundida é a de não levar crianças ao supermercado, mas nem sempre essa é uma opção tão interessante. Afinal de contas, essa pode ser uma excelente oportunidade para ensinar os filhos a lidar com dinheiro, estimular bons hábitos e exercitar a educação financeira.

Os momentos de grande movimentação devem ser evitados. A presença de mais pessoas circulando na loja leva a decisões tomadas com a sensação de urgência, aumentando o risco de estourar o orçamento ou de comprar itens não tão necessários. Ainda sobre esse aspecto, outra dica valiosa é priorizar a segunda quinzena do mês para fazer as compras. Nesse período, a quantidade de compradores tende a ser menor — e o preço também!

7. Tome cuidado com os estímulos

As práticas de estímulos às compras estão presentes em todos os supermercados. O ambiente é preparado para ser convidativo, com música, luminosidade e espaços que chamam o comprador a passar mais tempo do que o necessário na loja. Por isso, mantenha o foco no que realmente importa.

Os produtos, por sua vez, são estrategicamente colocados ao seu alcance e ao alcance de seus filhos. A disposição de itens como chocolates, bebidas e artigos diversos não é feita aleatoriamente.

Já reparou que produtos básicos, como arroz e feijão, não ficam tão expostos. Isso porque praticamente todas as famílias vão levar feijão, arroz, leite e itens de consumo corriqueiros. Já chocolates e salgadinhos não fazem parte das necessidades diárias. Entretanto, se estiverem à mão e com grande visibilidade, a vontade de comprá-los pode ser estimulada.

8. Pague à vista

Uma compra de supermercado feita no cartão de crédito, que só será pago no mês seguinte, causa um enorme desarranjo nas finanças. O ideal é que mesmo itens básicos de consumo, como produtos alimentícios, de higiene pessoal e de limpeza, tenham um limite de despesa previsto no orçamento.

Se, no planejamento, está previsto que as despesas com supermercado serão de até R$ 400,00, o que justifica que, na metade do mês, se recorra ao crédito? Nesse caso, ou a previsão de gasto foi inadequada para o perfil de consumo ou houve descontrole durante as compras.

O cartão de crédito não será um vilão se for usado com inteligência financeira. Ou seja, de forma equilibrada. A situação se complica quando ele serve para corrigir deficiências do orçamento, mascarando uma situação incômoda, mas que precisa ser enfrentada.

Outro problema de pagar as compras de supermercado no crédito é que ele passa a falsa impressão de que se pode gastar mais do que o necessário. Aí, a compra que deveria ser de R$ 50,00 sai por R$ 85,00, afinal de contas, só será paga no mês seguinte.

Só que a renda será a mesma, e os gastos com itens de consumo básico também. Ou seja, você terá o mesmo orçamento para pagar as mesmas despesas e leva de brinde a conta do mês anterior.

Economizar no supermercado é um dos caminhos para organizar a vida financeira da sua família. Coloque suas estratégias em prática e boas compras! Confira mais dicas incríveis sobre planejamento financeiro e realize todos os seus sonhos. Acompanhe nossas publicações no Facebook!