Gastos fixos e gastos variáveis: saiba como identificá-los

6 minutos para ler

No dia a dia das pessoas, é muito importante saber diferenciar os gastos fixos e os gastos variáveis, para fazer previsão de gastos futuros, criar estratégias de economia e tomar decisões de futuras aquisições.

Se você deseja melhorar a maneira como usa seu dinheiro e saber em que é possível economizar para conquistar tranquilidade nas finanças, este post é para você. Acompanhe!

A diferença entre gastos fixos e gastos variáveis

Nas finanças domésticas, os gastos variáveis são representados pelas despesas comuns do cotidiano, que, às vezes, oscilam de acordo com nossos compromissos ou intenções naquele mês, como:

  • refeições fora de casa;
  • remédios na farmácia;
  • festas e viagens;
  • roupas e acessórios de beleza;
  • juros, multas e doações;
  • idas ao salão de beleza;
  • manutenção de veículos;
  • veterinário, ração, banho e tosa de pets;
  • canais de TV por assinatura;
  • assinaturas de jornais e revistas.

Já os gastos fixos são aqueles que, faça chuva ou faça sol, temos de pagar mensalmente, e seus valores costumam mudar com pouca frequência, como:

  • aluguel ou prestação de imóvel;
  • taxa de condomínio;
  • contas de consumo (telefonia, Internet, gás, energia etc.);
  • alimentação básica do lar;
  • colégio particular;
  • transporte escolar;
  • convênio médico e odontológico;
  • financiamento e seguro de veículo;
  • empréstimos consignados.

Na prática, o entendimento da diferença entre esses dois tipos de gastos é muito importante, pois serve como base para a compreensão das atividades de gestão das finanças da casa.

A forma de reduzir gastos fixos

Para reduzir gastos, é preciso criar o hábito de registrar as informações financeiras pessoais e da família, pois, somente dessa forma, é possível ter uma visão clara do detalhamento de todas as contas.

Então, todos os meses, some os gastos do lar e faça separadamente o cálculo dos fixos. É possível que, na análise, alguns gastos se misturem — gastos no supermercado, por exemplo, podem conter tanto fixos como variáveis. O importante é conseguir diferenciar isso (mesmo em valores aproximados) na hora de registrá-los.

Uma vez mapeados, os gastos fixos podem ser reduzidos por meio de medidas do tipo:

  • buscar um aluguel mais em conta ou renegociar o atual;
  • ptar por um condomínio mais barato;
  • economizar nas contas de água, telefone, gás, energia etc.;
  • diminuir a velocidade contratada no plano de Internet;
  • cancelar a linha de telefone fixo, caso ele seja usado com pouca frequência;
  • usar a mesma operadora de celular para todas as pessoas na casa;
  • comprar produtos de marcas mais econômicas no supermercado;
  • usar transporte coletivo;
  • recorrer a planos de saúde mais simples e econômicos;
  • levar refeições de casa para compromissos externos.

Nem sempre todas as medidas descritas aqui serão necessárias, pois vai depender das necessidades reais de cada família. No entanto, é importante refletir sobre o modo como o dinheiro vem sendo gasto, pois a clareza trazida pela reflexão permite a adoção de boas práticas de economia, capazes de envolver todos os moradores do lar, inclusive as crianças.

A forma de reduzir gastos variáveis

Uma vez que os fixos estejam cobertos, os variáveis podem ser pensados como gastos necessários para o lazer pessoal, a diversão e a qualidade de vida em família, porém, sempre com moderação.

Portanto, nem todos os gastos variáveis podem ser considerados supérfluos. Determinadas despesas com farmácia, por exemplo, acabam sendo inevitáveis, diferentemente de uma sessão de cinema.

Aprendendo a identificá-los, reduzir os variáveis fica mais fácil. Veja algumas medidas:

  • pagar em dia as faturas para não arcar com multas e juros;
  • diminuir o número de refeições fora de casa;
  • evitar compras por impulso;
  • jamais recorrer ao limite do cheque especial;
  • nunca realizar saques usando o cartão de crédito;
  • não ir ao supermercado sem uma lista de compras.
  • programar festas e viagens com bastante antecedência;
  • reduzir o consumo de roupas novas e acessórios de beleza;
  • fazer manutenção preventiva em veículos;
  • repensar a quantidade de canais de TV por assinatura.

Vale destacar, aqui, que reduzir gastos não implica eliminá-los. É possível, por exemplo, continuar fazendo refeições fora de casa e economizar, seja reduzindo a quantidade de refeições externas, seja mudando de cardápio e restaurante.

Semelhantemente, levar refeições prontas de casa é uma forma de otimizar os gastos fixos com almoço todos os dias e, até mesmo, de contribuir com a melhoraria da saúde, por meio do consumo de alimentos mais saudáveis e preparados com todo o cuidado em casa.

Os gastos variáveis, quando sobem demais, prejudicam muito as finanças. Por isso, se eles não estiverem no radar, as chances de desorganização aumentam. Os fixos devem ser prioridade, todo mês, e os variáveis devem ser controlados de acordo com a necessidade da casa — lembrando que é fundamental também construir uma pequena poupança para períodos de emergência.

Além de anotar os gastos familiares, também vale a pena anotar os ganhos, ou seja, todos os recursos que entram periodicamente, como salários, comissões, pensões, alugueis, rendimentos etc., pois essa cifra representa a soma da sua riqueza disponível para gastar.

Então, depois de identificar quais são as entradas de recursos e somar os gastos fixos e os variáveis, revise-os com certa frequência, para que, durante a revisão, mais ideias de economia e bom uso do dinheiro venham à mente, sejam anotadas e postas em prática logo em seguida.

Ao sentar para organizar suas finanças, tenha à disposição faturas impressas ou on-line, assim como comprovantes de pagamentos e anotações de gastos. Portanto, diariamente, procure organizar as faturas juntas em uma pasta, guardar canhotos de pagamentos e anotar todo tipo de despesas — evite confiar apenas na memória.

Percebe como identificar os gastos fixos e os gastos variáveis pode ser simples. Não há segredo! Além disso, como já dissemos, os resultados colhidos na prática por quem decide economizar e controlar mais de perto as finanças são capazes de transformar a vida da sua família.

Como você se interessa por assuntos que iluminam o caminho do sucesso financeiro, cadastre agora seu e-mail aqui no blog para receber nossas próximas novidades!

Você também pode gostar

2 thoughts on “Gastos fixos e gastos variáveis: saiba como identificá-los

Deixe uma resposta

-