É fato que nada ensina mais do que o exemplo. E quando ele conta uma história de sucesso, vai muito além do que apenas um aprendizado: vira inspiração!

Independentemente da meta traçada, as pessoas que começaram do zero e realizaram os seus propósitos nos mostram que a perseverança se constrói com foco e disciplina, como você pode conferir nessas 5 histórias motivadoras que separamos para você:

1. Heloísa (Zica) Assis: fórmula secreta para tratar dos cabelos e da autoestima das mulheres

Nascida na comunidade da Zona Norte do Rio de Janeiro, Zica já trabalhava como babá aos 9 anos. Depois, precisou virar faxineira. Mas para arrumar um emprego, foi obrigada a alisar os cabelos.

Ela não desejava fazer isso, queria manter o cabelo natural, mas com movimento e brilho. Focando nesse objetivo, buscou conhecimento e matriculou-se em um curso de cabeleireira. Esse foi o primeiro passo de uma trajetória que a levou a ser uma das 10 mulheres mais poderosas do Brasil, segundo a revista Forbes.

Até chegar a obter esse reconhecimento, Zica vivenciou uma das fases mais críticas para todos os empreendedores: tentativas e erros. Passou a testar misturas de produtos no próprio cabelo, e perdeu muitos fios nessa empreitada.

O resultado veio depois de 10 anos de persistência. Quando desenvolveu a fórmula, Zica trabalhava como empregada doméstica e não tinha dinheiro no bolso para iniciar o negócio. Então, convenceu o marido, Jair Conde, a vender o único patrimônio da família: um Fusca.

Outra parte do capital veio do irmão, Rogério Assis, e da amiga, Leila Velez. Assim, em um fundo de quintal da Zona Norte do Rio, surgiu o Beleza Natural.

A marca, hoje, tem 40 unidades de negócios no País, atende cerca de 130 mil clientes por mês e iniciou sua expansão internacional, em 2017, com a abertura do primeiro instituto em Nova York (EUA).

2. Elói D'Ávila: sofá que é símbolo de persistência e humildade

Entre as pessoas que começaram do zero, nem sempre o ponto de partida é o mesmo. Alguns tinham uma vida minimamente confortável antes de empreender, outros partiram, de fato, do nada. Esse é o caso de Elói D'Ávilla, fundador do Grupo Flytour.

Hoje, o grupo é o maior emissor de bilhetes aéreos na América Latina. Cada uma das 220 unidades da empresa tem, na sala de entrada, um sofá. E é ele que faz o elo entre o garoto que viveu nas ruas e o homem de negócios bem sucedido.

Com apenas 8 anos, o menino fugiu de casa, em Porto Alegre, em direção a São Paulo, onde fez de tudo para sobreviver e foi acolhido por um aposentado até os 11 anos de idade.

Aos 12, vivia no Rio de Janeiro, onde conheceu um guia turístico que o apresentou à "Vovó Stella" (Stella Barros), simpática senhora que o forneceu oportunidade de emprego, ensino, cuidados e um lugar para dormir: o sofá da sua agência de turismo.

O sofá está com ele até hoje. É o primeiro móvel que D'Ávilla vê quando chega ao hall de entrada da unidade da Flytour em Alphaville. O resgate diário de uma história construída com determinação e uma lição de humildade.

"Em um empreendedor, isso é fundamental: acreditar no que gosta e ir atrás. Não desistir nunca", explicou em sua palestra no Day 1, da Endeavor.

3. Milena Curado de Barros: dos bordados da "Vovó Wanda" ao artesanato que transforma vidas

A microempreendedora individual (MEI) Milena Curado de Barros conquistou, em 2014, o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios pela marca Cabocla Criações, empreendimento iniciado sete anos antes e que, hoje, vai muito além do seu próprio universo empresarial.

Empreender foi o resultado de uma necessidade para ela. Em 2005, Milena passava pelo que muitos brasileiros vivem ou já viveram: estava em meio a uma crise financeira. A solução veio dos bordados da avó, Wanda.

Juntas, ela, a avó e a mãe confeccionavam roupas em algodão cru, decoradas com os bordados. Inicialmente, as peças eram vendidas no sistema de consignação. Mas não demorou muito para surgir a Cabocla Criações, em um casarão antigo no Centro Histórico da Cidade de Goiás.

Para que a iniciativa desse resultado, Milena buscou apoio do Sebrae, onde aprendeu a precificar os produtos, desenvolver a marca e acessar o mercado. Era o nascimento de uma marca criada para gerar renda familiar e, mais do que isso, preservar a cultura local e transformar vidas.

Do microempreendimento surgiu o projeto social Cabocla Bordando Cidadania, que promove a inclusão social e financeira de 20 detentos da unidade prisional da cidade. Por mês, Milena confecciona, em média, 200 peças. A estimativa da microeemprendedora é de que a marca cresceu em 300%.

4. Silvio Santos: o vendedor mais famoso do País

A trajetória de Silvio Santos é um dos mais emblemáticos casos de pessoas que começaram do zero. Todo mundo conhece a história de Senor Abravanel, o descendente de judeus que nasceu na Lapa (Rio de Janeiro), virou camelô e construiu um império bilionário, constituído pelo Grupo SBT e mais uma série de empreendimentos.

O talento para as vendas é nítido, mesmo para quem só o conhece dos programas dominicais. Foi esse dom, somado a muito esforço, criatividade, foco e disciplina que o levaram ao sucesso.

Ousadia foi outro componente importante. Embora tivesse trabalhado como radialista, servido na Escola de Paraquedistas do Exército e se formado como técnico em Contabilidade, sempre que se arriscou a vender algo, usando seu carisma e suas habilidades de entretenimento, foi bem sucedido.

Isso vem desde o seu primeiro negócio, o Baú da Felicidade, que viria a dar origem ao Grupo Silvio Santos, até hoje, com a holding bilionária Silvio Santos S/A.

5. Paola Carosella: a volta por cima

Aos 40 anos, com uma filha de dois anos e vivendo no cheque especial, a chef de cozinha e proprietária do restaurante Arturito e da rede de empanadas La Guapa, Paola Carosella, viveu um dos momentos mais decisivos da sua carreira.

Paola é mais uma das pessoas que começaram do zero, com uma história recheada de reviravoltas. Desde muito nova se encantou com a gastronomia. Enquanto a mãe estava fora o dia inteiro trabalhando, ela contornava a solidão na cozinha.

A menina cresceu e a paixão se fortificou. Vieram os trabalhos na área e a experiência de uma década de dedicação, até surgir a oportunidade de empreender. O primeiro negócio não deu certo. Veio o segundo, Arturito, comandado por ela, mas influenciado por sete sócios que não estavam dando ao restaurante os rumos que esperava.

Paola estava infeliz e decidiu mudar as coisas. Convicta do conhecimento que tinha sobre o seu negócio, apaixonada pela gastronomia e disposta a arregaçar as mangas para fazer tudo dar certo, assumiu uma dívida milionária para comprar a parte dos sócios.

"Peguei um empréstimo de R$ 2 milhões no dia seguinte. Para quem não tem nada, isso era muito! E eu era minha única garantia. Eu era meu paraquedas, não tinha mais nada.", disse Paola em sua palestra no Day1. Para que tudo desse certo, ela virou "um polvo dentro do restaurante", fazendo tudo o que fosse necessário.

A trajetória das pessoas que começaram do zero e conquistaram seus sonhos nos mostra que sim, é possível ir muito mais longe do que imaginamos.

Começar a mudar a história da sua vida só depende de você!

Compartilhe essas histórias inspiradoras nas suas redes sociais e motive mais pessoas. Até a próxima!