Você já parou para pensar na importância de falar sobre dinheiro com as pessoas mais próximas? Esse é um assunto do qual muitos fogem, tipicamente visto como tabu, mas que deveria ser encarado com mais naturalidade, afinal, é algo que faz parte do dia a dia de todos nós e sempre terá um papel essencial ao longo de nossas vidas.

Por isso, veremos neste post alguns dos principais motivos pelos quais você deve considerar conversar mais sobre dinheiro com o cônjuge, filhos e amigos e que tipo de benefícios esse hábito pode trazer. Acompanhe!

Por que conversar sobre dinheiro ainda é um tabu?

A máxima de que "o dinheiro é a raiz de todos os males" já é uma crença bastante antiga, que remonta a passagens bíblicas. Apesar de muitas pessoas ainda o enxerguem como algo ruim, a verdade é que ele não passa de um objeto de troca, que recebemos ao gerar valor para alguém com o nosso trabalho e que nos dá o poder de adquirir bens para ter uma vida mais confortável.

A questão é que, infelizmente, existem indivíduos que usam de meios ilegais para ter acesso a esse poder, o que contribui ainda mais para gerar uma aversão ao dinheiro em parte da sociedade. Porém, temos que ter em mente que é o mau uso do capital que é o problema, e não o dinheiro em si.

Além disso, no Brasil, podemos especular algumas causas para essa espécie de receio em tratar sobre finanças e outros assuntos relacionados com as pessoas do seu círculo de confiança.

A primeira delas é a herança de tempos complicados que o país viveu antes da década de 90, em um período no qual a inflação era totalmente descontrolada. Isso representou uma enorme dificuldade para que o brasileiro planejasse o que faria com os rendimentos ou com a quantia que raramente conseguia poupar.

Aliado a isso, o confisco das cadernetas de poupança no início dos anos 1990 fez com que essa relação com o dinheiro ficasse ainda mais desgastada. Foi uma época bastante conturbada, mas que a população pôde superar conforme a situação econômica foi melhorando — o que trouxe, inclusive, novas possibilidades de investimentos e oportunidades no mercado financeiro. Mesmo com alguma melhora econômica, grande parte de nós, brasileiros, ainda tem uma situação financeira apertada, com dificuldade para regularizar todas as contas.

E, mesmo diante de um cenário com maiores possibilidades, não houve uma mudança grande no que diz respeito à educação. Até hoje, são raras as escolas que dedicam um tempo considerável ao ensino de economia doméstica e finanças pessoais para crianças e adolescentes.

Ainda que todos esses fatores ajudem a explicar as razões pelas quais falar de dinheiro é um tabu, eles não podem ser motivo para deixarmos que essa seja a cultura dominante. Vejamos então por que é fundamental ter conversas sobre ele.

Qual é a importância de falar sobre dinheiro em casa?

Agora, vamos entender melhor os motivos pelos quais as pessoas deveriam falar mais sobre suas finanças dentro de casa.

Com o cônjuge

Segundo um estudo promovido pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e também pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), 39% dos brasileiros casados brigam com o parceiro por causa de dinheiro. É um número bastante expressivo, mas que poderia ser bem menor se os casais falassem mais abertamente sobre as finanças e, principalmente, sobre as dificuldades financeiras.

O equilíbrio é um dos elementos mais importantes em um relacionamento, e no que se refere ao dinheiro, não poderia ser diferente. Ambos os cônjuges precisam participar do controle de rendimentos e despesas e entender que, alguns sacrifícios são necessários, para que alcancem seus objetivos individuais e também como casal.

As decisões devem ser tomadas em conjunto, para que um não ache que o outro está no controle das economias e escolhendo o que eles podem comprar ou não.

Sendo assim, é preciso levar em conta que falar sobre as economias é, sim, parte do relacionamento. Se você não mantém esse hábito desde o início da relação, vale a pena começar o quanto antes, sempre tomando cuidado com a forma como você fala e com o momento que escolhe para isso.

Conversas sobre dinheiro devem acontecer enquanto o casal estiver de bem e jamais ocorrer em tom de acusação. São papos cuja finalidade é melhorar a vida das pessoas que se amam, encontrando soluções para alcançarem suas metas financeiras ou resolverem eventuais dificuldades econômicas pelas quais possam vir a passar.

Com os filhos

O fato de a escola não dar uma boa base de educação financeira para os alunos não pode ser uma desculpa para os pais deixarem de falar sobre isso em casa. É você quem deve dar o exemplo e orientar seus filhos sobre a organização das contas.

Um dos ensinamentos mais importantes está em mostrar para as crianças que nem sempre podemos comprar o que queremos. Os gastos têm um limite e os filhos entenderão, pouco a pouco, que é essencial separar as coisas entre o desejamos e o que precisamos.

Essa será a base para que eles aprendam que fazer escolhas é parte da vida. Quando estiverem recebendo uma mesada, esses princípios também vão ajudá-las a compreender que poupar é fundamental para conseguirmos comprar o que queremos. É abrindo mão de gastar o dinheiro hoje que aproveitamos os benefícios que ele pode nos trazer no futuro.

Todos esses fundamentos serão cruciais para que os seus filhos saibam como controlar os impulsos, além de ficarem cientes que nós é que devemos exercer o poder sobre o dinheiro — e não o contrário.

Por que falar sobre dinheiro com amigos?

O cônjuge e os filhos vivenciam conosco os resultados das decisões que fazemos em relação à gestão financeira, o que pode nos motivar a falar mais abertamente sobre o assunto. Mas será que esse também pode ser um tema de conversa entre amigos?

A resposta é sim! Como também passamos um bom tempo com eles, certamente enfrentaremos situações que vão envolver dinheiro de alguma maneira. Talvez não seja claro, mas dividir a conta do restaurante, pagar pelos custos de transporte e comprar ingressos de shows, cinema, apresentações etc. são algumas delas.

Se esses programas estão atrapalhando o seu planejamento financeiro, é necessário falar abertamente com seus amigos sobre isso. Vocês podem pensar em alternativas mais "em conta", que envolvam frequentar a casa uns dos outros, por exemplo.

Não tenha vergonha de propor opções mais acessíveis ou deixar para o próximo mês — seus amigos de verdade certamente entenderão e você pode até se surpreender que vários deles também passam por momentos mais complicados na vida financeira.

Essas e outras atitudes que vimos ao longo do texto vão parecer difíceis no início. Contudo, depois que você entende a importância de falar sobre dinheiro com as pessoas mais queridas e as vantagens que isso traz para a sua vida, tudo se torna mais natural e menos um tabu. Dê os primeiros passos e veja como esse assunto pode ser mais leve do que você imagina.

Gostou do artigo? Então, não deixe de mostrar essas informações para as pessoas com quem você se importa. Compartilhe o post nas suas redes sociais!