Como Negociar Dívida com Banco?

Quem nunca abusou do cartão de crédito ou cheque especial que atire a primeira pedra. Mas a pior parte é que a dívida junto ao seu banco pode ser a que te custe mais caro para quitar. Mas e aí, como pagar essa conta? Dívida com banco caduca? O banco pode vender minha dívida?  São […]

Como Negociar Dívida com Banco?

Quem nunca abusou do cartão de crédito ou cheque especial que atire a primeira pedra. Mas a pior parte é que a dívida junto ao seu banco pode ser a que te custe mais caro para quitar. Mas e aí, como pagar essa conta?

Dívida com banco caduca? O banco pode vender minha dívida? 

São tantas dúvidas, mas estamos aqui para solucioná-las. A maioria das pessoas que buscam essas respostas tem dívidas com bancos de mais de 5 anos.

Muitas delas ficam na dúvida quando consultam seu CPF achando que aquela dívida antiga sumiu.

Mas a surpresa chega e elas encontram nessa busca uma renegociação, mesmo não tendo a restrição no seu CPF.

Afinal, dívida com banco caduca?

Como já comentamos no post sobre dívidas, a sua dívida não caduca e sim o seu nome sujo. Isso quer dizer que passado o prazo de 5 anos as restrições de crédito são tiradas do seu CPF, mas isso não quer dizer que a dívida sumiu.

Ela pode ser cobrada da mesma forma pois continua a aparecer no sistema da empresa que você está devendo.

Assim como o banco ou financeira não é obrigado a te dar crédito por conta de um “nome sujo caducado”. Dizer que a dívida caduca pode até ser um pouco certo quando falamos dos Órgãos de Restrição ao Crédito, mas não para o sistema do Banco Central (SRC).

Este sistema armazena todo o comportamento financeiro do consumidor com essas informações. Quando você solicita um crédito ou empréstimo é autorizada essa consulta no SRC, apresentando todas as suas dívidas mesmo que antigas até serem efetivamente negociadas.

Como consultar a dívida que tenho com meu banco?

Antes de mais nada, é preciso saber o tamanho da bucha que você tem para resolver.

Consultar seu CPF em um dos sites de Órgão de Proteção ao Crédito como Boa Vista SCPC, SPC ou Serasa é essencial para conseguir olhar para todas as suas dívidas e começar um planejamento de quitação dos seus débitos.

Esta é a primeira etapa: entender o valor total que você possui para quitar e determinar quanto será o comprometimento da sua renda com a negociação dessas dívidas.

A segunda etapa é entender se a dívida está ou não ainda com o banco. 

Isso ocorre porque, dependendo do tempo que você está devendo, o banco pode ter vendido sua dívida. Como assim? Calma, isso nós já te explicamos.

Todo banco entende que dívidas muito antigas podem ser vendidas para facilitar o processo de cobrança, ou seja, o banco já entendeu que provavelmente você não tem condições e considera esse dinheiro com juros perdido. 

Mas é aí que entram as recuperadoras de crédito. Elas compram essa dívida mais baratas do que são e passam a ser donas dela. Você não deve mais para o seu banco e sim para a recuperadora de crédito.

Não sendo repetitivo, mas para esclarecer, o processo se chama recuperação de crédito e resume-se à tentativa de resgatar aquele débito que um dia pode ser pago com descontos e prazos diferenciados de pagamento.

3 passos para identificar as suas dívidas bancárias

Muita gente ainda tem dúvidas sobre como conseguir consultar dívida com banco e se ela foi vendida ou não. Mas para encontrar é simples.

1 – Consulta CPF

Você pode fazer isso pelo site do Consumidor Positivo ou da Acordo Certo.

Assim que entrar na sua área de login você vai encontrar as suas dívidas, condições especiais para pagamento e verificar que se não achar o seu banco, pode ser que ela esteja com empresas como a Itapeva, Recovery ou Ativos S.A. por exemplo. As famosas recuperadoras de crédito.

2 – Faça seu planejamento do endividado

De acordo com as propostas que aparecerem, verifique se tem alguma condição que cabe no seu bolso.

Aqui a ideia é que você tenha consciência do acordo que está fazendo e se comprometendo a ter o valor daquela parcela mensalmente disponível na sua renda até o final.

3 – Pague as mais caras primeiro e as que trazem os melhores descontos

No caso de você ter mais de uma dívida ou até dívidas com mais de um banco, mas não tem muito dinheiro para quitar seus débitos no momento, escolha as mais caras e aquelas que estão dando o melhor desconto.

Exemplo:

Ana Maria
CPF: XXX.XXX.XXX-09

Dívida 1
Valor original da dívida: R$ 2.500,00
Valor da dívida para negociação: R$ 1.000,00 em até 10x

Dívida 2
Valor original da dívida: R$ 3.500,00
Valor da dívida para negociação: R$ 750,00 em até 3x

Qual você deve pagar primeiro? A dívida 2. Além de ter mais desconto do preço com juros original, ela é a maior. Mesmo sua parcela sendo maior, é a oportunidade pagar o mínimo possível por uma dívida muito alta.

Viu só como parece complicado, mas não é? Neste passo a passo você conseguiu ver suas dívidas, analisá-las e ainda por cima começou a solucionar seu problema com o nome sujo.

Mesmo assim pode ter ficado algumas dúvidas, então vamos te ajudar a esclarecer.

Principais dúvidas sobre dívidas com bancos

A dívida prescreve em quanto tempo?

Quando falamos que a dívida prescreve, segue bem o conceito do que falamos anteriormente sobre as restrições. Mas prescrever é quando falamos no âmbito jurídico.

A dívida pode ser cobrada judicialmente depois de até 10 anos. De acordo com o artigo 205 do Código Civil Brasileiro, a dívida prescreve depois desse tempo. 

Em alguns casos específicos colocados no artigo, o prazo médio (dependendo da dívida) para prescrever pode ir de 1 à 5 anos.

Isso não quer dizer que ela não pode ser cobrada. A dívida ainda existe no sistema da empresa que você está devendo e pode solicitar esse pagamento, assim como pode continuar afetando o seu histórico de score de crédito.

O que acontece na dívida com banco após falecimento?

Quando uma pessoa morre, as dívidas não morrem com ela. Mas não se preocupe, quem fica não vai precisar pagar. O próprio falecido paga com seu patrimônio.

Quando acontece de uma pessoa falecer, a justiça une todo o patrimônio, sejam eles os bens (imóvel, carro, joias, etc) e dinheiro, somando tudo e tira os negativos que a pessoa que faleceu tinha (empréstimos, financiamentos, cartão de crédito em aberto, etc.). 

– Se o valor dos bens for maior que a dívida, o que sobrar do pagamento das dívidas vai para os herdeiros.

– Se o valor dos bens for igual a dívida, não há herança.

– Se o valor dos bens for menor que a dívida, todas as dívidas são pagas e os valores restantes deixam de existir e não há herança.

De forma alguma os herdeiros precisam pagar do seu próprio bolso a dívida de um falecido.

Esse processo se chama espólio.

Dívida com banco pode bloquear o CPF?

Bloquear o CPF pode ser por vários motivos, não só dívidas. 

Primeiro, para descobrir se seu CPF está bloqueado consulte nosso post sobre consulta CPF

O bloqueio pode ainda estar relacionado a alguma outra dívida registrada e protestada em cartório, podendo ser de qualquer valor e pertencente a qualquer lugar.

Dívida com banco pode penhorar bens?

Pode! Mas somente em casos extremos.

É muito difícil um banco ir diretamente para a penhora de bens antes de tentar qualquer tipo de negociação. Não é comum, porém pode ser feito.

Para saber mais sobre penhora de bens, a Loft tem um artigo explicando como funciona e em quais situações isso pode ocorrer no caso de se tratar de um imóvel.

Não encontro minha dívida com meu banco no site deles, o que aconteceu?

Pode ser que, pelo tempo que você tem essa dívida, o seu banco tenha vendido para uma recuperadora de crédito.

Isso é bem comum ocorrer, principalmente para dívidas com mais de 5 anos. Mas não se preocupe, é fácil descobrir para quem o banco vendeu.

Vá no seu contrato de cartão de crédito, cheque especial ou conta bancária. Leia o contrato até a Cláusula que fornece o nome da(s) empresa(s) que o seu banco tem acordo e pode eventualmente vender sua dívida.

Agora consulte seu CPF no site da Acordo Certo e tente renegociar sua dívida.

Formas de negociar sua dívida com banco para limpar o nome

Limpar o nome é uma conquista para qualquer endividado. Não importa o motivo e sim o sossego que isso te traz. 

Confira aqui as formas de visualizar a sua dívida no site da Acordo Certo e negociá-las de uma forma que as parcelas caibam no seu bolso.

Consulte seu CPF e veja abaixo as condições exclusivas que trazemos para vocês:

Quitar dívidas com o Banco Itaú

  • Descontos especiais para pagamentos à vista
  • Taxa de juros reduzidas

Negociar dívida com o Banco Pan

  • Em até 12x
  • Sem entrada
  • Parcelas iguais

Negociar dívidas com o Bradesco

  • Entrada + Parcela mínima de R$ 30,00
  • Taxa de juros reduzidas

Negociar dívidas com a BV Financeira

  • Descontos especiais para pagamentos à vista
  • Taxa de juros reduzidas

Negociar dívidas com o Santander

  • Até 60x
  • Parcela mínima de R$ 10,00
  • IOF nas demais parcelas

Conclusão

As dívidas com bancos são o maior problema dos endividados, além de ter uma das maiores taxas de juros.

Se hoje você se encontra nesta situação, há inúmeras possibilidades para renegociar a sua dívida com banco. Seja com o próprio gerente da sua conta ou plataformas como a Acordo Certo.

Além disso, a educação financeira é essencial neste processo.

Faça um rascunho em um simples papel, anote todas as suas dívidas, reveja seus custos, economize, poupe dinheiro, busque uma renda extra se necessário e melhore seus hábitos financeiros. 

Esse é um resumo do passo a passo rumo à sua liberdade financeira. Tenha sempre uma reserva de emergência para não se negativar novamente.

Apertou a situação? Use-a com inteligência e pensando no longo prazo, não deixe de começar seus investimentos.

2 respostas para “Como Negociar Dívida com Banco?”

  1. Pq nao fazer um acordo que de com oq o devedor pode pagar .fazer um desconto bom para pagar a divida a vista

    • Williane disse:

      Oi, Elisangela!
      Todas as condições de pagamento do seu acordo como descontos, números de parcelas e datas de vencimento são definidas pela empresa parceira. Por esse motivo não conseguimos oferecer descontos maiores do que aqueles que já estão disponíveis e nem alterar a quantidade de parcelas e nem valores disponibilizados.

      Caso nenhuma opção seja exatamente aquilo que você gostaria, sugerimos entrar no site de tempos em tempos, pois os parceiros fazem alterações em suas políticas de condições de negociação eventualmente. Dessa forma, pode ser que você encontre a opção que seja perfeita para você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu bem-estar financeiro

Receba os artigos
do blog no
seu e-mail.