Banner Banner

Estou Endividado: O que Devo Fazer?

Se você está endividado e deseja sair dessa situação de uma vez por todas, confira o passo a passo para lidar com o endividamento e resolver suas pendências de forma inteligente e responsável.  Atualmente, são mais de 71,4% milhões de endividados no Brasil. Essa não é uma situação fácil e afeta muito mais do que […]

Estou Endividado: O que Devo Fazer?

Se você está endividado e deseja sair dessa situação de uma vez por todas, confira o passo a passo para lidar com o endividamento e resolver suas pendências de forma inteligente e responsável. 

Atualmente, são mais de 71,4% milhões de endividados no Brasil. Essa não é uma situação fácil e afeta muito mais do que a saúde financeira das famílias brasileiras, impacta também a saúde mental dos consumidores inadimplentes.  

Para se ter uma ideia, em uma pesquisa que realizamos entre julho e agosto de 2021 com mais de 1.200 de nossos consumidores, 41% das pessoas que possuem dívidas, têm como maior preocupação não conseguir prover o básico para a família, como moradia e alimentação.

Além disso, 63% têm vergonha da atual situação financeira e 73% se sentem inseguras devido à situação financeira. 

Por isso, preparamos um passo a passo para te ajudar a quitar dívidas, sair do vermelho, organizar suas finanças e se manter longe de mais endividamento.

O que é estar endividado?

Estar endividado nem sempre é algo ruim. O endividamento financeiro significa que o consumidor possui compras parceladas, empréstimos ou financiamentos. Ou seja, se você vai ao shopping e parcela sua compra no cartão de crédito, você fica endividado.

Suas dívidas somente se tornam um problema a partir do momento que você não possui mais a capacidade de quitá-las sem afetar a sua renda mensal e, consequentemente, as suas necessidades básicas.

Quando isso acontece e você não consegue honrar com o pagamento das suas dívidas dentro do prazo, você passa a ser um consumidor inadimplente. E é aí que mora o perigo!

O desemprego e a crise econômica brasileira são os principais fatores que levam o consumidor à inadimplência e ao superendividamento. E, se você se encontra neste cenário, tenha calma, nós vamos te ajudar!

NEGOCIE SUAS DÍVIDAS

Estou endividado, o que fazer?

Se você está endividado e perdeu o controle da sua vida financeira, saiba que você não está sozinho.

Em nossa pesquisa realizada entre julho e agosto de 2021 com mais de 1.200 de nossos consumidores, 64% dos participantes afirmaram estar constantemente no vermelho.

A primeira coisa que precisa ser feita para superar esse momento de dificuldade é reconhecer sua situação e ficar cara a cara com as suas dívidas.

Se você conseguir mudar os seus hábitos de consumo logo no início e reorganizar suas finanças, ficará muito mais fácil limpar o nome e recuperar o controle da sua vida financeira. 

Para começar, vamos identificar qual é o seu grau de endividamento?

Grau de endividamento

Entenda como está a sua situação financeira para começar a lidar melhor com as suas contas e sair das dívidas. 

O cálculo do grau de endividamento é muito simples e serve para te ajudar a medir o quanto as suas dívidas estão afetando os seus ganhos e, consequentemente, a sua saúde financeira. 

Vamos às contas? Pegue um papel e uma caneta e anote todas as suas dívidas. Considere empréstimos, financiamentos, compras parceladas no cartão de crédito, prestações e etc.

Depois disso, divida esse valor pelo valor da sua renda mensal e multiplique por 100 para chegarmos a um número em porcentagem.

NEGOCIE SUAS DÍVIDAS

A fórmula base é, então: Grau de endividamento = Dívidas / Receita x 100

Vamos à um exemplo prático. Digamos que Ana possui as seguintes dívidas:

  • Financiamento: R$ 1.500
  • Parcelas no cartão de crédito: R$ 300
  • Prestação do carro: R$ 200

Logo, o valor total das dívidas de Ana é de R$ 2.000. Por outro lado, o rendimento mensal de Ana é de R$ 4.000.

Colocando na fórmula…

Grau de endividamento = R$ 2.000 / R$ 4.000 x 100

Grau de endividamento =  0,5 x 100

Grau de endividamento = 50%

Neste caso, Ana tem 50% da sua renda comprometida por dívidas, o que indica que já ultrapassou o limite aceitável para que suas necessidades básicas não sejam afetadas.

Existem diferentes formas de avaliar o resultado deste cálculo para compreender se o grau de endividamento está dentro do aceitável ou ultrapassou o limite. O mais habitual se baseia nos seguintes números:

  • Até 30%: suas dívidas estão dentro do limite considerado aceitável e possível de serem administradas sem impactar a sua renda mensal;
  • Entre 30% a 35%: ative o sinal de alerta! O ideal é tentar chegar no nível abaixo de 30%; 
  • Entre 35% a 40%: você está entrando em uma situação perigosa e precisa mudar seus hábitos para não se tornar inadimplente;
  • Acima de 40%: você entrou em uma bola de neve! Com quase, ou mais da metade, da sua renda mensal sendo destinada ao pagamento de dívidas, você provavelmente se encontra em uma situação onde as dívidas se tornaram impagáveis, com taxas de juros altíssimas, comprometendo as suas necessidades básicas e se tornando um superendividado.

Agora que você identificou qual o seu grau de endividamento, é hora de colocar em prática o passo a passo que preparamos para te ajudar a sair do vermelho.

Passo a passo para sair das dívidas

1° passo – Mantenha a calma

Sabemos que estar endividado não é uma situação fácil para ninguém. Mas neste momento, onde as contas não fecham no final do mês e parece que você nunca vai conseguir pagar todas as suas dívidas, respire fundo e mantenha a calma. 

A sua vida financeira depende de você, das decisões que você irá tomar, da sua disciplina e comprometimento. Por isso, se acalme e tenha paciência consigo mesmo.  

2° passo – Faça o planejamento do endividado

Busque se informar sobre todas as suas dívidas, faça uma consulta ao CPF e confira para que empresas você está devendo e qual o valor de cada uma de suas pendências. 

Coloque todas as suas contas na ponta do lápis e veja quanto você pode dedicar mensalmente para quitar suas dívidas sem afetar suas necessidades básicas, o ideal é sempre reservar no mínimo 20% do que se ganha para pagar as dívidas. 

Neste momento, confira quais são as taxas de juros de cada uma das suas dívidas e analise qual você deve pagar primeiro caso não seja possível quitar todas ao mesmo tempo. Lembrando que você deve sempre começar pela dívida que tem maior taxa de juros, ok?

Em Julho de 2021, foram aprovadas alterações da Lei do Consumidor que trazem benefícios para o consumidor superendividado, a tão famosa “Lei do Superendividamento”.

NEGOCIE SUAS DÍVIDAS

É compreendido como superendividada aquela pessoa que já perdeu o controle sobre suas dívidas, ou seja, o valor da parcela de uma negociação já não cabe no seu bolso e mesmo que tenha a possibilidade de uma renegociação dessa dívida, vai precisar escolher entre pagar uma conta básica ou conseguir quitar esta dívida. 

A lei do endividamento tem como principal objetivo proteger as necessidades básicas do consumidor, de forma que seu mínimo existencial esteja garantido. Desse modo, as parcelas da negociação não podem ultrapassar 35% da renda do consumidor. 

Se este é o seu caso, procure a Justiça ou o Procon do seu estado que deverá encaminhá-lo ao núcleo de conciliação e mediação de conflitos resultantes de superendividamento. 

3° passo – Corte gastos e mude hábitos

É hora de colocar suas finanças em ordem e cortar qualquer despesa extra. Avalie seus gastos, entenda para onde o seu dinheiro está indo e que cortes você pode realizar sem prejudicar suas necessidades básicas.

Este é o momento de cortar luxos e gastar o mínimo possível. Mude seus hábitos de consumo e busque poupar o máximo que puder.

4° passo – Renegocie suas dívidas

Com seu planejamento do endividado em mãos e tendo conhecimento de todas as suas dívidas e as taxas de juros de cada uma delas, é hora de ir atrás de limpar o nome e renegociar suas dívidas. 

Busque por empresas de renegociação de dívidas como a Acordo Certo e analise ofertas de negociação disponíveis para você quitar suas dívidas.
Lembre-se de sempre dar preferência para pagar primeiro as dívidas que possuem os juros mais altos como cartão de crédito, empréstimos e financiamentos.

Conclusão

O endividamento por si só, não é algo ruim, desde que esteja sob controle e não afete as suas necessidades básicas. O grande problema está quando você perde o controle de suas dívidas, não consegue mais honrar com os seus compromissos financeiros e torna-se uma pessoa inadimplente.

Quando as dívidas fogem do nosso controle, tornam-se uma bola de neve.

Então, esteja sempre de olho em como andam as suas finanças, acompanhe seus gastos, saiba para onde o seu dinheiro está indo e evite entrar em empréstimos, financiamentos ou parcelamentos que você não tem certeza que conseguirá pagar dentro do prazo.

A prevenção é sempre a melhor opção, mas lembre-se sempre de que tudo tem solução e, caso você se enrole nas suas dívidas, pode contar com empresas como a Acordo Certo para te ajudar a se livrar delas.

10 respostas para “Estou Endividado: O que Devo Fazer?”

  1. Avatar for José Joaquim Alves José Joaquim Alves disse:

    Muito obrigado , gostei muito. Minhas dividas são pequenas, mas devido ao meu rendimento, está tornando difícil. Paga uma fica duas para.

  2. Avatar for Gerusmar pereira da Silva Gerusmar pereira da Silva disse:

    Olá boa noite, preciso de ajuda estou no vermelho já algum tempo, financiamento, empréstimo e cartões de crédito.

    • Avatar for Williane Williane disse:

      Oi, Gerusmar! Tudo bem?
      Sinto muito que esteja nessa situação.
      Através da Acordo Certo você pode encontrar ótimas ofertas de negociação para quitar suas dívidas de forma que caiba no seu bolso. Acesse nosso site, consulte o seu CPF e confira as ofertas disponíveis para você.

  3. Avatar for Janaina Souza Janaina Souza disse:

    Boa tarde , estou superindividado tenho consiguinado de 35% tomado do meu pagamento sofri um processo judicial o qual estou pagando, tenho dívidas no cartão de credito e outras com imprestimos , só me sobra 200,00 reais para pagar de parcela num acordo , o qual não consigo entrar em acordo com o banco e nem com o cartão… ou seja só juros encima rolando o que eu faço ? Se eles entrassem em um acordo com parcelas nesse valor eu estaria pagando e não devendo!

    • Avatar for Williane Williane disse:

      Oi, Janaina! Tudo bem?
      Sinto muito por estar nessa situação, vou torcer para que consiga resolver e ter uma vida financeira mais saudável.

      Você já ouviu falar sobre a Lei do Superendividamento? Através dela você consegue auxílio do Procon para negociar com todos os credores de forma que caiba no seu bolso.
      Temos um artigo aqui no nosso blog que te explica melhor, dá uma olhadinha: https://blog.acordocerto.com.br/news/superendividamento/

  4. Avatar for Alexandre Melo Ferreira Alexandre Melo Ferreira disse:

    BOM DIA. meu nome é Alexandre, acabei de fazer um acordo com vocês, não vejo a hora de conseguir quitar minhas dívidas, porém, a melhor maneira de tornar isso possível, seria com um empréstimo, pois quitaria minhas dívidas todas e teria fôlego e mais tempo para quitar o empréstimo, pois ficaria com uma dívida só. Porém, isso parece impossível, pois todas tentativas feitas,me foram negadas .Me sinto totalmente excluído

  5. Avatar for Eva Cândida da Silva Eva Cândida da Silva disse:

    Não estou.conseguindo entrar no sait quero ver todas dívidas bancarias ê o valor com desconto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu bem-estar financeiro

Receba os artigos
do blog no
seu e-mail.



    Anúncio Blog - Acordo Certo