Onde guardar dinheiro

Onde guardar dinheiro? Confira as melhores opções

Acordo Certo

outubro 15, 2020

6

minutos para ler

Quando acontece de sobrar algum dinheiro ao final do mês, às vezes bate aquela dúvida: “onde guardar esse dinheiro para render mais?”. Pensando nisso, separamos algumas opções para você guardar o seu dinheiro de forma segura e ainda fazer render. Continue a leitura para saber mais!

Muitas pessoas têm o hábito de guardar dinheiro em casa. Mesmo sendo uma prática bastante comum, não é a opção mais recomendada. Além do perigo que você corre em ser roubado (o que, infelizmente, acaba sendo um risco quase inevitável), ter o seu dinheiro guardado em casa impede o rendimento de juros sobre ele, ou seja, você não ganha o que poderia receber com algum tipo de investimento.

Além disso, considerando o aumento da inflação ao longo do tempo, a moeda vai perdendo o valor, por isso, se você quer guardar o seu dinheiro, é mais vantajoso investir em algum tipo de aplicação. Entenda mais detalhes a seguir.

Vale a pena ter uma poupança?

A poupança é outra forma bastante tradicional de guardar dinheiro. Porém, há muito tempo, ter uma poupança deixou de ser algo vantajoso. Sem dúvidas, guardar dinheiro na caderneta de poupança é mais seguro do que mantê-lo em casa — por outro lado, mesmo isenta de Imposto de Renda, essa modalidade tem um rendimento muito baixo, incapaz de repor as perdas inflacionárias.

Se você já considerou a poupança como melhor opção, não se preocupe. Existem opções muito melhores para você guardar o seu dinheiro (e ainda receber uma grana a mais com isso). Confira a seguir algumas escolhas mais vantajosas para você guardar o seu dinheiro.

Para fazer o seu dinheiro render

Carteiras digitais

Você já deve ter ouvido falar das carteiras digitais. Mercado Pago, NuConta, PicPay… As opções são diversas, mas um ponto diferencial entre as contas digitais é a possibilidade de rendimento.

As carteiras digitais prometem um rendimento maior do que a poupança, e isso é fato. Porém, no caso da poupança, se você precisar do dinheiro seu dinheiro imediatamente, é possível resgatá-lo na hora. Já nas carteiras digitais, o resgate do dinheiro direto para a conta do banco pode demorar um pouco mais, e a transação pode ter um custo adicional. Aqui, é importante se atentar ao prazo de carência e às regras de retirada definidas para cada carteira digital em específico.

Também é importante considerar que as carteiras digitais não são isentas de Imposto de Renda, tal como a poupança. Por isso, ao verificar o rendimento do seu dinheiro, tenha em mente que haverá um desconto por conta do imposto. Assim, antes de investir, é importante consultar a tabela de imposto de renda para ter certeza que será mesmo um bom investimento.

CDBs

Os Certificados de Depósito Bancário são considerados um tipo de investimento seguro e de baixo risco. Os CDBs funcionam de maneira simples: você empresta o seu dinheiro para o banco que, para confirmar a transação, emite o certificado.

Para resgatar o CDB sem ter perdas financeiras, é preciso aguardar pela sua data de vencimento (por isso, antes de investir, verifique se a data de resgate condiz com as suas possibilidades financeiras). Além disso, vale ressaltar que o CDB também está sujeito à incidência de Imposto de Renda.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto apresenta uma rentabilidade muito superior à da poupança, é reconhecido como o tipo de aplicação com menor risco do mercado, além de ser uma ótima opção para quem procura um bom lugar para guardar dinheiro com segurança.

O Tesouro Direto nada mais é do que comprar, com o seu dinheiro, títulos públicos. Em outras palavras, você empresta dinheiro ao Governo Federal para o pagamento de dívidas e realização de investimentos.

Considerado uma excelente alternativa de investimento, o Tesouro Direto oferece títulos com diferentes tipos de rentabilidade, aplicações com variados prazos de vencimento e fluxos de remuneração. Este tipo de investimento também é mais flexível — é possível vender o seu título (ou seja, resgatar o seu dinheiro) antes da data de vencimento sem que você tenha prejuízos. Porém, para uma boa rentabilidade, é aconselhável manter a sua aplicação até o final para o resgate total do valor de sua rentabilidade.

No site oficial do Tesouro Direto, é possível conhecer detalhadamente os diferentes tipos de título, além de ter a opção de simular como seria a sua aplicação. Com bastante clareza, você visualiza de forma simples o quanto o seu dinheiro poderá render ao longo do tempo.

Assim como os CDBs, os títulos públicos do Tesouro Direto também estão sujeitos à tributação de Imposto de Renda, por isso é muito importante simular a aplicação e analisar com cuidado cada detalhe.

Fundos de investimento

O fundo de investimento é uma forma de aplicação financeira que é formada pela união de várias pessoas, como se fosse um “condomínio” de investidores. Assim, as pessoas se juntam para a realização de um investimento financeiro conjunto, que é gerido por um profissional, o gestor de fundos.

Então, como dito acima, os investidores compram cotas deste investimento e, assim, passam a fazer parte deste fundo. Vale ressaltar que é preciso ter cuidado com a taxa de administração, que pode comprometer boa parte da sua rentabilidade.

Existem diversas opções de fundos de investimento, sendo as mais conservadoras as mais indicadas a quem procura guardar dinheiro com segurança. Os ganhos obtidos com as aplicações são divididos entre os investidores, na proporção do valor investido por cada um.

Previdência Privada

Como uma opção de pensar na aposentadoria sem depender do INSS, a previdência privada é uma boa opção para quem pretende guardar dinheiro a longo prazo, visando o resgate do dinheiro em época de aposentadoria, como uma renda extra que se somará aos benefícios do INSS.

Para entender melhor como funciona a previdência privada, é necessário entender a diferença entre os planos e os fundos de previdência.

Os planos de previdência são os produtos que os investidores efetivamente adquirem, ou seja, uma espécie de “pacote” para a aposentadoria, com as instituições financeiras atuando na gestão de valores e prazos para que, futuramente, quem investiu possa resgatar uma determinada renda.

Já os fundos de previdência consistem nos veículos de investimento em si. Desta forma, um investidor que contrata um plano terá seus recursos efetivamente aplicados diretamente em um fundo de previdência.

Este guia rápido sobre onde guardar dinheiro te ajudou a ter mais clareza sobre o assunto? Conte para nós aqui nos comentários e continue acompanhando o nosso blog com temas diários de planejamento, segurança e bem-estar financeiro. 🙂

Compartilhe
este artigo

9 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se

Receba os posts mais recentes em seu e-mail