Raio-x dos golpes online: como se proteger de criminosos na internet

Raio-X dos golpes online: como identificá-los e se proteger deles

Acordo Certo

agosto 12, 2020

5

minutos para ler

Quem não conhece alguém que caiu em um golpe no WhatsApp ou nas redes sociais, e-mail e outros meios digitais (ou foi vítima)? Golpistas são criativos e sempre encontram novas formas de enganar pessoas, mas acredite: todas as fraudes online têm características em comum e criamos um guia que é o verdadeiro raio-X dos golpes online para ajudar você a identificar armadilhas e se proteger de criminosos na internet. Confira a seguir!

Sinais que denunciam golpes online

Para entendermos alguns dos principais sinais de atuação dos criminosos na internet, conversamos com dois especialistas: Leonardo Horvath, engenheiro de segurança digital da Elo, e Márcio Moretto Ribeiro, professor do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso a Informação da USP. Depois de ler esse raio-X dos golpes virtuais, você dificilmente será enganado na internet. Confira!

Mensagens “urgentes” e desesperadas

Em muitos golpes, se não tentam se passar por um conhecido que te manda mensagem pedindo dinheiro desesperadamente, fingem ser seu banco ou outra empresa que relata um suposto problema “urgente”.

“A maioria se passa por serviços comuns, como bancos e operadoras de telefonia e de TV a cabo, para chamar atenção, criar curiosidade ou causar preocupação”, observa Leonardo Horvath.

Por isso, é sempre importante questionar se a pessoa que entrou em contato com você é realmente quem diz ser. Márcio Moretto Ribeiro aconselha: “Se você recebe um e-mail falando que tem uma urgência do banco, a primeira coisa que deve fazer é conferir de onde está vindo essa mensagem. Você tem certeza de que é do banco mesmo?”.

Ribeiro sugere conferir o destinatário da mensagem por outro meio: “Ao receber um WhatsApp suspeito, por exemplo, você pode contatar o gerente do banco por outro telefone, ou mandar um e-mail para ele. Se você recebeu um e-mail, pode tentar ligar para o banco”. Horvath também alerta: “O segredo é sempre desconfiar e não clicar em um link sem ter certeza de que ele realmente foi enviado pela empresa”.

Propostas irresistíveis (e improváveis)

Há alguns anos, um golpe ficou muito famoso na internet: por e-mail, um suposto príncipe nigeriano solicitava seus dados bancários para transferência de uma parte da fortuna dele (e, depois, pedia um pagamento adiantado). Sim, a história é bem maluca. Como um príncipe aparece do nada e oferece dinheiro a um desconhecido? Ainda assim, muitas pessoas ao redor do mundo caíram nessa.

Golpistas tentam manipular as emoções da vítima para convencê-la a seguir suas instruções – enquanto alguns golpes online apelam para a urgência, outros recorrem a propostas irresistíveis.

Então, fique atento: encontrou alguma loja online desconhecida que vende um produto por um preço muito abaixo da média do mercado? Para não correr o risco de ter o seu dinheiro e nem os seus dados roubados, investigue se é uma empresa confiável (sites como o Reclame Aqui podem ajudar nessa investigação). Se não, prefira comprar em lojas que você já conhece e confia.

Recebeu uma mensagem do banco dizendo que seu nome foi sorteado para ganhar um grande prêmio? Ligue para sua agência e verifique. Lembre-se sempre do ditado: “Quando a esmola é demais, o santo desconfia”.

Sites e e-mails com endereço quase igual ao verdadeiro

“É bem importante conferir se o endereço do site que você está acessando ou do e-mail que recebeu está correto”, especialmente quando envolver operações com cartão de crédito, aponta Ribeiro.

O especialista explica que sites e e-mails falsos podem ser muito parecidos com os canais oficiais de uma empresa, mas têm sempre um pequeno detalhe que entrega a farsa: uma letra a mais ou a menos, por exemplo.

A dica é sempre verificar e, se ficar na dúvida, procurar a empresa por outros canais para confirmar.

Mensagens atreladas a assuntos do momento 

Outra das maneiras comuns de um golpista chamar a atenção de uma vítima é atrelando sua abordagem a assuntos do momento. Um exemplo disso foi quando o governo brasileiro anunciou o Auxílio Emergencial.

Entre o início da pandemia do novo coronavírus e o começo de julho, cerca de 693 sites maliciosos foram criados dentro desse assunto, de acordo com o levantamento do grupo de inteligência digital IBM X-Force IRIS. Já no WhatsApp, criminosos enviaram links que, uma vez acessados, permitiam o roubo de dados bancários das vítimas. O laboratório especializado em segurança digital DFNDR Lab estima que mais de 7 milhões de pessoas caíram nesse tipo de farsa.

A dica é a mesma: sempre verifique tudo, cuidado nunca é demais. Márcio Moretti Ribeiro aconselha: “Observe: quem mandou esse link para você? Você confia nessa pessoa? Ao digitar o endereço do site, será que você escreveu tudo certinho? Não digitou nenhuma tecla errada?”.

Erros de português ou digitação

A linguagem pode denunciar um golpe. Se você receber alguma mensagem com erros gramaticais, desconfie: as chances de uma empresa séria mandar uma mensagem mal escrita para um cliente são mínimas. Além de erros de ortografia e concordância verbal, observe os detalhes de pontuação, como o uso de ponto final e vírgulas.

Compartilhe essas dicas de segurança

Seguindo essas recomendações, você identifica tentativas de golpes online e se protege deles. Gostou das dicas? Compartilhe este artigo com amigos e familiares para que também naveguem com segurança!

Compartilhe
este artigo

3 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se

Receba os posts mais recentes em seu e-mail

Captcha obrigatório
Seu cadastro foi concluído com sucesso!