gastos domesticos gastos domesticos

5 dicas para reduzir gastos domésticos 

4 minutos para ler

Para reduzir gastos domésticos, o primeiro passo é ter a consciência de que o corte nos custos é necessário. Para isso, aqui está a pergunta de ouro: “por que você precisa economizar?”. Quando se tem um propósito, todas as ações realizadas devem se voltar para ele. Assim, fica tudo mais organizado e funcional.

Pensando nesse assunto, independentemente do motivo pelo qual você deseja poupar, hoje, trouxemos este post com 5 passos para controlar o seu orçamento familiar, eliminando excessos e aplicando os recursos de forma consciente e proveitosa. Quer saber quais são eles? Venha conosco e confira a seguir!

1. Estabeleça tetos de gastos e metas de economia

Já ouviu aquela história de que, para quem não sabe aonde está indo, qualquer lugar serve? Pois bem. Nas finanças, você pode usar essa frase popular para entender que, sem um planejamento, fica impossível reduzir gastos, domésticos ou não. Você sabe por que quer economizar, e para conseguir, precisa definir “parâmetros”.

Em outras palavras, é preciso estabelecer metas, além de valores-limite para gastar. Quanto você deseja poupar? Essa meta precisa ser ousada, mas também factível, ou seja, não adianta estabelecer um objetivo impossível de alcançar. Qual é o máximo que determinada categoria de gasto pode custar?

Crie planos de ação

Você deve partir para a ação de maneira organizada e são esses parâmetros que dão o direcionamento. Quais atitudes podem atingir esse resultado estipulado? Você estabeleceu um teto de X mensal para gastar com alimentação, então, quais itens podem ser substituídos por outros mais baratos? Pratique essa mentalidade.

Tendo em mente quanto se quer poupar e qual é o máximo que você pode gastar dentro de cada setor (alimentação, transporte, lazer etc.), fica bem mais simples criar um plano de ação. Como você vai concretizar essas metas? 

2. Faça um planejamento alimentar

Listas de compras são muito comuns, principalmente para quem não quer sair do orçamento estipulado. Assim sendo, recomendamos uma prática semelhante: planeje as suas refeições, bem como as da família. Quantas vezes por dia? Quantas pessoas comerão? Qual será a composição desse cardápio?

Além de ser uma oportunidade de dar um salto na sua qualidade de vida — planejando a alimentação, você pode comer melhor —, você conseguirá estipular os valores gastos e adequá-los dentro do que pretende. Tendo o “plano” em mãos, você sabe exatamente o que comprar, livrando-se de excessos.

3. Evite as tentações

Toda vez que você sai, leva o cartão de crédito? Pode parecer besteira, mas se você ainda não consegue se conter, talvez inviabilizar o gasto seja a melhor opção, até que a sua consciência tenha força para falar mais alto. Construa hábitos e elimine rotinas que engajem você a gastar sem necessidade, como olhar frequentemente o cardápio do aplicativo de delivery.

4. Revise as assinaturas da casa

Gastos com telefone, internet, entretenimento (TV a cabo, Netflix etc.) também são gastos que precisam ser revisados. Você realmente usufrui plenamente do plano que contratou? Há muitas opções econômicas e planos familiares que podem ajudar a diminuir a despesa com esse tipo de assinatura. Busque essas possibilidades e livre-se do que não usa!

5. Assuma uma postura diferente

Na verdade, a principal mudança deve estar na sua mentalidade. Principalmente em casa, com a família, não adianta se comprometer a cortar gastos com “comer fora”, por exemplo, e se mostrar totalmente infeliz, reclamando o tempo todo da nova decisão. Isso inviabiliza o seu crescimento, mesmo que você tenha mais dinheiro no bolso.

A ideia é buscar formas alternativas de encontrar certos prazeres e encarar determinadas necessidades, sempre focando o seu propósito final (lembra-se, no começo do texto, que perguntamos o motivo pelo qual você deseja poupar?). Você pode mudar gradativamente também, trazendo sua família no processo.

Envolva toda a família

Uma dica de ouro: crie um processo de recompensa. Sempre que você atingir determinada meta, estipule algo com a família que vocês vão se permitir ter em função do avanço alcançado. Assim, reduzir gastos domésticos se torna realmente uma missão. O foco não está no desgaste e, sim, na educação financeira. Não se esqueça disso.

Você tem alguma dica especial sobre esse assunto? Deixe nos comentários e ajude-nos com sua experiência! 

Posts relacionados

Deixe uma resposta