Aprenda a usar o cartão de crédito do jeito certo

6 minutos para ler

Saber usar cartão de crédito é essencial para viver longe de problemas financeiros e escapar das artimanhas dos juros compostos, que recaem sobre as faturas atrasadas e parceladas, transformando, em curto prazo, dívidas pequenas em grandes bolas de neve.

Para que você e sua família vivam livres dessas dores de cabeça, preparamos este post, em que apresentamos dicas bem fáceis para descomplicar sua relação com o cartão de crédito e formas de torná-lo um forte aliado das suas finanças pessoais. Confira!

O perigo dos juros compostos

Também conhecidos como “juros sobre juros”, os juros compostos só são favoráveis quando calculados sobre algum investimento que você tenha feito. Quando, porém, eles são calculados sobre suas dívidas, aí a conversa muda!

Os juros compostos nas transações via cartão de crédito recaem geralmente sobre o valor atrasado ou da fatura parcelada. Por exemplo, se a fatura era R$ 400 e foi pago o valor mínimo (R$ 60), os juros serão aplicados sobre a diferença (R$ 340), durante a vigência do parcelamento desse montante.

Vale destacar que, no Brasil, segundo o Banco Central, a taxa média de juros do crédito rotativo do cartão gira em torno de 12% ao mês. Para ilustrar, se os R$ 340 citados acima deixarem de ser pagos por 12 meses, por exemplo, no final desse período, a dívida estará em incríveis R$ 1.324,63.

As taxas e juros cobrados em caso de atraso no pagamento

Imagine que dia 10 é um dia útil (ou seja, não é feriado, nem sábado, nem domingo) e a fatura que vencia nesta data foi paga no dia 11. Embora a demora tenha sido de apenas um dia, serão cobrados até 2% de multa e até 1% de juros pelo atraso — juros de mora.

Segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), a multa por atraso não pode ultrapassar os 2%. Do mesmo modo — porém, com a garantia do segundo o Código Civil e do Código Tributário Nacional —, o juro de mora não pode ser superior a 1%.

A cilada do crédito rotativo do cartão

Além da multa e do juro de mora cobrados pelo atraso no pagamento da fatura, as cobranças adicionais do cartão de crédito não param por aí.

Você sabe, por exemplo, o que é o crédito rotativo do cartão? Pois é, muitas pessoas, apesar de já terem ouvido falar nele, desconhecem seu significado.

Se esse for seu caso, saiba que o crédito rotativo entra em cena quando o pagamento integral da fatura do cartão não é realizado até o vencimento. Tanto os pagamentos atrasados quanto os parcelamentos de fatura ativam esse crédito especial.

Para ficar mais claro, no primeiro exemplo acima — em que falamos de uma fatura de R$ 400 que teve pagamento mínimo de R$ 60 (15%) —, o crédito rotativo é representado pela diferença que precisou ser parcelada (R$ 340). É como se a pessoa tivesse emprestado esse valor da financeira operadora do cartão.

Como falamos, os juros cobrados sobre o crédito rotativo são compostos, sendo assim, evite pagar em atraso e parcelar faturas, afinal, essas são maneiras inteligentes de não aumentar a sua dívida.

A importância de um limite moderado de crédito

Alguns especialistas aconselham que quem tem dificuldade para usar moderadamente o cartão de crédito deve ter um limite que não ultrapasse metade do salário da pessoa.

O cálculo é fácil: se o salário for R$ 2 mil, o limite do cartão não deve ser maior que R$ 1 mil, sendo metade desse limite utilizada para compras parceladas e outra metade para compras à vista.

Na prática, o que importa mesmo é aprender a usar o cartão; mas se você realmente tem dificuldades para se controlar, é melhor ir devagar para não exceder sua capacidade financeira de honrar os compromissos nas datas previstas.

A máxima do “menos cartão e mais gestão”

Quando o limite de um cartão é muito pequeno para atender as necessidades do portador, é comum a pessoa se sentir estimulada a adquirir mais cartões. Às vezes, fazer isso é mais fácil que lidar com a burocracia de ligar na administradora, solicitar aumento de crédito, comprovar renda etc.

No entanto, possuir mais de um cartão traz riscos enormes para administração das finanças pessoais. Se o atraso ou o parcelamento da fatura de apenas um cartão traz consequências devastadoras, imagine de dois ou mais!

Um único cartão, portanto, tem de ser suficiente. Menos cartão e mais gestão, esse é o lema!

Os benefícios promocionais e pagamento de anuidades

Vamos falar primeiramente das anuidades. Sempre que elas aparecerem na sua fatura, ligue imediatamente para a administradora e peça para estornarem essa taxa. Se precisar, diga que você vai cancelar o cartão. Em último caso, aceite negociar um valor mínimo de pagamento, o que já será uma redução importante.

Já com relação aos benefícios, você deve conhecer e aproveitar todos os disponíveis na sua bandeira. Geralmente, o que regula tais benefícios são programas de acúmulo de pontos, que podem ser trocados por descontos em:

  • cinema, teatro e show;
  • assinatura de canal de TV, revista etc.;
  • compra em lojas cadastradas (físicas e online);
  • compra de passagens aéreas (milhagens);
  • hospedagem em hotéis e aluguel de veículos.

Obviamente, cada bandeira possui suas particularidades, e elas devem ser consultadas para saber quais vantagens você tem direito e em quais programas de fidelidade você deve se inscrever antes de participar.

O perigo de usar cartão de crédito para pagar as contas de consumo

As contas de consumo tradicionais são as de água, energia elétrica, telefone, gás etc. Algumas pessoas, a pretexto de comodidade ou de acumular pontos em programas de fidelidade, acabam pagando essas despesas por meio do cartão de crédito.

Realmente, os benefícios pretendidos com esse comportamento são alcançados, mas também é preciso lembrar das taxas que estão presentes em transações desse tipo. Elas podem variar de R$ 1,50 a R$ 16, dependendo do banco utilizado.

Aparentemente, os valores são pequenos, não é mesmo? Mas uma taxa de R$ 16 que for cobrada sobre uma conta de R$ 32 representará incríveis 50% de acréscimo! Você toparia pagar por tudo isso? Então, é bom ficar sempre de olho e evitar quitar esse tipo de conta no crédito.

Como é possível perceber, usar o cartão de crédito exige conhecimento, habilidade e muito cuidado. Assim, esse importante instrumento de compras se torna um excelente aliado de quem não costuma cometer excessos.

Gostou do nosso post sobre como usar cartão de crédito? Agora, para aprender a ser mais organizado financeiramente, acesse este outro conteúdo em que ensinamos maneiras práticas de fazer o dinheiro sobrar todo mês!

Posts relacionados

Um comentário em “Aprenda a usar o cartão de crédito do jeito certo

Deixe uma resposta